Monte seu próprio negócio | Publicaweb
Monte seu próprio negócio
Home > Dicas

Apresentação do Negócio

A disseminação do uso de equipamentos de informática e o alto custo dos cartuchos fizeram surgir uma nova indústria no mercado formal de impressoras do Brasil nos últimos anos: A recarga de cartuchos de impressão.

Especialistas afirmam que o consumidor brasileiro prefere ler textos impressos em detrimento das leituras na tela do computador e que o receio de adquirir cartuchos não originais vem diminuindo ao longo do tempo, à medida que os clientes vão percebendo as vantagens do uso de cartuchos remanufaturados e o progressivo aumento da tecnologia envolvida no processo.

Numa época em que todos se preocupam com a redução de custos, a recarga de cartuchos é hoje uma alternativa muito interessante para quem imprime e uma boa oportunidade de renda para quem deseja empreender num negócio de investimento relativamente baixo e de amplo mercado.

Mercado

Pesquisas divulgadas recentemente apontam um expressivo aumento da venda de impressoras jato de tinta, multifuncionais e até mesmo de impressoras a laser no mercado brasileiro, o que afeta diretamente a comercialização dos cartuchos de impressão.

Segundo o IDC Brasil (International Data Corporation), entidade que realiza pesquisas de inteligência de mercado, consultoria e conferências nos segmentos de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, baseada no estudo Brazil Quarterly Hardcopy Peripherals Tracker, no ano de 2006, o mercado brasileiro de impressoras registrou vendas de 3,4 milhões de unidades, um volume 54% maior em relação a 2005, quando foram comercializados 2,2 milhões de equipamentos.

As facilidades de pagamento oferecidas pelo varejo e os incentivos governamentais para elevar o consumo de computadores em 2006 acabaram por alavancar as vendas das impressoras, muitas vezes comercializadas em ofertas casadas com a venda de computadores.

Com o aumento do consumo de computadores e impressoras no Brasil, a venda de cartuchos de tinta para impressora também cresce.

Devido ao alto preço dos cartuchos, a procura por lojas que reciclem o produto aumentou muito nos últimos anos. De acordo com alguns orgãos, o mercado brasileiro de suprimentos movimentou cerca de 120 milhões de cartuchos em 2005. Destes, 12% são recondicionados e 15% são compatíveis. Do total de cartuchos originais vendidos no mercado, 40% voltam a ser utilizados, ou seja, são recarregados.

Localização

Os locais ideais para a instalação de um negócio de recarga de cartuchos são lojas ou quiosques localizados em galerias comerciais, pequenos shoppings centers ou mesmo em ruas de bom movimento. A localização destes empreendimentos perto do mercado consumidor permite oferecer comodidades no atendimento e rapidez na entrega do produto, agradando a clientela. Em geral o consumidor não planeja a aquisição e a manutenção de estoques de cartuchos de impressão, realizando a compra somente quando a tinta acaba.

Embora nas principais cidades brasileiras já existam algumas empresas bem estruturadas e com diversas filiais, o mercado de recarga de cartuchos ainda é bastante pulverizado. Contudo, as pequenas empresas de recarga também sofrem a concorrência de grandes cadeias de papelarias e magazines na venda de novos cartuchos (originais e compatíveis), acessórios, e suprimentos (papel de impressão principalmente). Por esta razão, uma adequada avaliação da concorrência é muito importante antes da escolha do local de instalação da sua loja.

Outros fatores – além da proximidade dos clientes e fornecedores e da ameaça dos concorrentes – devem ser considerados na definição do local. Dentre estes fatores relevantes citamos: área disponível do imóvel, custos do ponto comercial, IPTU, condomínio, aluguel e permissão legal para instalação do negócio.

Neste contexto, o novo empresário deve procurar a prefeitura do município onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (localização) e ao Alvará de Funcionamento, atentando para os seguintes aspectos:

- Se as atividades a serem desenvolvidas no local, respeitam a Lei de Zoneamento do Município, pois alguns tipos de negócios não são permitidos em qualquer bairro;

- Se os pagamentos do IPTU referente ao imóvel se encontram em dia;

-No caso de serem instaladas placas de identificação do estabelecimento, será necessário verificar o que determina a legislação local sobre o licenciamento das mesmas.

- Se o imóvel está regularizado, ou seja, se possui HABITE-SE. Em geral o “Habite-se” só é concedido pela Prefeitura local se possuir a aprovação do Corpo de Bombeiros. Esta aprovação é baseada na análise prévia do projeto do edifício, onde são exigidos níveis mínimos de segurança, previsão de proteção contra incêndio da estrutura do edifício, rotas de fuga, equipamentos de combate a princípio de incêndio, equipamentos de alarme e detecção de incêndio, além de sinalizações que orientem a localização dos equipamentos e rotas de fuga.

Adicionalmente, o empresário deve observar a legislação ambiental de seu Estado, no tocante à disposição de resíduos sólidos e efluentes líquidos (tintas, óleos, graxas, etc.). Portanto, o órgão de gestão ambiental Estadual deve ser consultado sobre a legislação aplicável a atividade.

Exigências legais específicas

O empreendimento está dispensado de obter registro ou autorização de funcionamento específica, junto às entidades ou órgãos fiscalizadores de atividades regulamentadas, bastando ao empreendedor obter a inscrição junto aos órgãos exigíveis das sociedades empresárias em geral.

A pessoa jurídica também não está sujeita à responsabilidade técnica, ou seja, não se exige do empreendimento a manutenção, em seus quadros, de profissional habilitado junto a órgão ou conselho de classe fiscalizador de profissão regulamentada.

Recomenda-se ainda fazer uma consulta ao PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº. 8.078/1990 – Código de Defesa do Consumidor – Alterada pela Lei nº. 8.656/1993 Lei nº. 8.703/1993, Lei nº. 8.884/1994, Lei nº. 9.008/1995, Lei nº. 9.298/1996 e Lei nº. 9.870/1999).

O produto reciclado tem, conforme o Código de Defesa do Consumidor, uma garantia de fábrica durante 90 dias para defeitos de fabricação. Esta garantia cobre exclusivamente os serviços de reciclagem realizados. A data de validade dos cartuchos é de doze meses a contar da data de fabricação.

Lei Nº. 6.514 – de 22 de dezembro de 1977 – DOU de 23/12/77, dispõe sobre a segurança e medicina do trabalho e dá outras providências.

Estrutura

A estrutura ideal compreende um espaço de cerca de 40m², com instalações elétricas e de comunicação, dividido em área de atendimento e vendas e um espaço para o laboratório de teste e recarga de cartuchos.

A área de vendas deve contar com um balcão de atendimento, prateleiras e expositores para os produtos comercializados. Um armário para guarda de produtos para revendas (acessórios e periféricos de computador) mantidos em estoque, também deve compor a estrutura do local.

O laboratório deve contar com uma bancada de trabalho para os técnicos, onde são instalados os equipamentos de recarga, um computador e impressora, morsa, balança, além das máquinas de limpeza e teste dos cartuchos. Adicionalmente, o laboratório deve possuir armários e prateleiras para a guarda dos insumos e materiais utilizados na recarga e manutenção do estoque de cartuchos recarregados.

Pessoal

Além do empresário que poderá exercer a supervisão, controle ou mesmo suprir a ausência de algum empregado, o quadro ideal para operar este tipo de negócio requer mais 4 pessoas, sendo: 2 atendentes e 2 técnicos de recarga.

Equipamentos

Os principais equipamentos utilizados no processo de recarga são:

Balança Eletrônica Até 100g – São utilizadas balanças para determinar o peso de cada cartucho em diversas etapas do processamento, compra, limpeza e enchimento. A informação conseguida permite tomar decisões sobre como continuar o processo.

Clamp: Há certos cartuchos que requerem a aplicação de vácuo para evitar o vazamento de tinta após a sua recarga. Este vácuo pode ser conseguido deformando (apertando) as paredes laterais desses cartuchos. O clamp é uma ferramenta que facilita este aperto permitindo um aumento de precisão e velocidade na recarga.

Computador e Impressora: Utilizados nos testes de impressão.

Espátula: Pequeno formão destinado a raspagem de vedações e retirada de bocais de certos cartuchos.

Extratores (POPER) – Dispositivo de alavanca que permite extrair a tampa de determinados cartuchos.

Máquina de Limpeza de Cartucho: Quando o cartucho vazio não é recarregado em pouco tempo, haverá o ressecamento de resíduos de tinta na cabeça de impressão e na pré-câmara. Quando isto ocorre, após ter sido feita a recarga o cartucho não imprimirá ou então apresentará acentuadas falhas.

Máquina de Recarga – A recarga pode ser feita manualmente ou através de equipamentos automáticos, onde todo o esforço para enchimento do cartucho é realizado exclusivamente pela máquina.

Morsa para Bancada – Diversas atividades durante a recarga exigem que o cartucho esteja posicionado de forma correta e firme. A morsa permite que isto seja feito, liberando as mãos do operador durante o processo.

Seringa 50 ml – São essenciais na recarga manual. Permitem medir a quantidade de tinta a ser carregada e pressurizar a tinta para que entre no cartucho.

Testadores: Um equipamento de teste para os cartucho é essencial, pois para funcionar bem após uma recarga o cartucho deve estar com os contatos elétricos em perfeito estado, caso contrário poderá não funcionar ou imprimir com falhas.

Verruma – Alguns cartuchos exigem que se perfure ou desloque uma tampa de ventilação para permitir o acesso ao seu reservatório de tinta. As verrumas são furadores manuais, com a forma de saca-rolhas, utilizados para este fim.

Matéria Prima / Mercadoria

As principais matérias primas consumidas no processo de recarga de cartucho são:

Clips de Proteção – Peças plásticas rígidas com diversas finalidades que servem para proteger o cartucho. Na compra do cartucho vazio retardam o ressecamento, durante o transporte até a recarga protegem a integridade do bocal e do circuito do cartucho, após a recarga auxiliam a fita de baixa adesividade a evitar vazamento e entupimento, além de melhorarem a apresentação do cartucho. Cada cartucho necessita de um modelo diferente, contudo existem clips chamados universais que servem para diversos modelos de cartucho, sendo, porém, usualmente menos eficientes e não tão estéticos.

Embalagens: O empreendedor deve desenvolver e utilizar uma embalagem que proteja e valorize o seu produto e destaque a sua marca.

Etiquetas p/ Vedação – Em cartuchos que devemos substituir esferas para efetuar a recarga pode ser necessário cobrir a nova esfera com uma etiqueta, isto deixa o cartucho com melhor aparência.

Fita de Proteção – Contact – Estas fitas, normalmente azuis, são essenciais à conservação dos cartuchos depois de carregados. Sem a fita cobrindo o bocal do cartucho a tinta resseca levando a um entupimento provavelmente insolúvel. A fita é fabricada com materiais especiais para evitar que o adesivo prejudique o cartucho, nunca devem ser usadas fitas adesivas comuns.

Tinta: Para que se possam ter bons resultados na recarga, é muito importante que tenha uma tinta de qualidade, caso contrário, haverá sérios problemas com entupimentos e ressecamentos de cabeças de impressão, além de perda de tempo, material e, o que é pior, perda de clientes.

Toner: Utilizado para recarga de cartuchos de impressoras a laser.

Organização do processo produtivo

O processo produtivo de uma loja de recarga de cartuchos compreende diversas atividades, dentre elas destacamos:

Vendas e Atendimento

- Atendimento aos clientes de recarga e venda de acessórios e cartuchos originais direto aos consumidores.

- Marketing e relacionamento com os clientes. Muitas empresas deste segmento realizam vendas através de centrais telefônicas e oferecem serviços de coleta e entrega de cartuchos em domicílio.

Laboratório de Recarga

-Aquisição, teste, abertura e limpeza dos cartuchos -Recarga, seguindo a técnica compatível para cada tipo de cartucho.

-Remontagem, teste e embalagem

Administração Financeira

Inclui a gestão de RH, finanças, compra de insumos, controle de estoque e relacionamento com bancos, fornecedores e prestadores de serviço.

Automação

Existem equipamentos automáticos e motorizados de recarga, onde todo o esforço para enchimento do cartucho é realizado exclusivamente pela máquina.

Seu objetivo é aumentar a produtividade da recarga.

O que diferencia a recarga manual da recarga com máquina não é a qualidade do cartucho, esta qualidade somente depende do emprego de técnicas corretas de recarga e de tintas adequadas.

Máquinas automáticas também são utilizadas nas fases de limpeza e teste dos cartuchos.

A diferença está na produtividade, uma máquina pode acelerar a produção em até quatro vezes. O empreendedor deve avaliar a compra de equipamentos automáticos de recarga no investimento inicial de um negócio, há outros gastos mais urgentes, contudo quando se chega a um nível de cerca de quatrocentos ou quinhentos cartuchos por mês, elas se tornam quase necessidade.

Neste contexto o empreendedor deverá identificar o equipamento necessário as suas atividades e compatíveis com os serviços de recargas a serem oferecidos (tipos de cartucho, cores de tinta – preto, colorido, etc.).

A automação também deve estar presente na Gestão do negócio. O empreendedor deve avaliar a adoção de um software de controle capaz de registrar as vendas realizadas, em conformidade com a legislação fiscal em vigor no seu Estado, e que possua funcionalidades tais como: Cadastro de clientes, controle de estoque, contas a pagar e receber, etc.

Canais de distribuição

O empreendedor deve destinar parte do espaço da loja para atendimento aos clientes que buscam o serviço de recarga e o público interessado na compra dos demais produtos oferecidos pelo estabelecimento. Adicionalmente, outros canais de distribuição podem ser desenvolvidos, tais como: telemarketing (vendas ao consumidor doméstico e corporativo) ou mesmo a instalação de quiosques de vendas em outros pontos comerciais, caso o empreendedor também trabalhe com a remanufatura de cartuchos para venda.

Investimentos

O investimento necessário para abertura de uma loja de recarga de cartuchos irá variar segundo fatores tais como: equipamentos utilizados, tamanho do estoque de produtos destinados à revenda e da necessidade do pagamento de luvas pelo ponto comercial. Abaixo elaboramos um pequeno orçamento de investimento, para simples referência do empreendedor (não incluiremos propositalmente os valores referentes a luvas do ponto comercial, por ser de difícil mensuração, ou mesmo não aplicáveis em alguns casos):

 

Item

Valor Estimado

2 Computadores

R$ 2.000,00

(balcão e laboratório)

R$ 1.000,00

Abertura da Empresa

R$ 600,00

Armários e bancadas de trabalho

R$ 1.500,00

Balança Eletrônica até 5 Kilos

R$ 60,00

Estoque Inicial

R$ 1.000,00

Aparelho de Fax

R$ 250,00

Impressoras para testar cartuchos

R$ 800,00

Jogo de Ferramentas e outros itens de laboratório

R$ 600,00

Luminoso + Sinalização Loja

R$ 1.500,00

Máquina de Limpeza de Cartucho

R$ 250,00

Máquina de Recarga

R$ 1.200,00

Máquina de Teste de Cartuchos

R$ 350,00

Marketing Inicial

R$ 600,00

Mesas e cadeiras

R$ 500,00

Morsa para Bancada

R$ 15,00

Reformas e adaptação do Imóvel

R$ 2.500,00

TOTAL 14.725,00

Capital de giro

Capital de giro é um montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir a dinâmica do seu processo de negócio. O processo de negócio envolvido na prestação de serviços de recarga de cartuchos envolve a necessidade de cerca de 30% de recursos, além dos investimentos previstos no tópico anterior, pois compreendem custos tais como salários, aluguel, impostos, manutenção do estoque de matérias-primas utilizadas no processo de recarga, além de fatores, tais como: volume de vendas diárias e giro do estoque, que irão exigir a alocação de recursos pelo empreendedor.

Em relação às receitas oriundas do serviço de recarga, o normal é que elas sejam recebidas à vista ou, no máximo, em 30 dias.

O capital de giro precisa de controle permanente, pois tem a função de minimizar o impacto das mudanças no ambiente de negócios onde a empresa atua.

O desafio da gestão do capital de giro deve-se, principalmente, à ocorrência dos fatores a seguir:

- Variação dos diversos custos absorvidos pela empresa;

- Aumento de despesas financeiras, em decorrência das instabilidades desse mercado;

- Baixo volume de vendas;

- Aumento dos índices de inadimplência;

- Altos níveis de estoques.

O empreendedor deverá ter um controle orçamentário rígido de forma a não consumir recursos sem previsão.

O empresário deve evitar a retirada de valores além do pró-labore estipulado, pois no início todo o recurso que entrar na empresa nela deverá permanecer, possibilitando o crescimento e a expansão do negócio. Dessa forma a empresa poderá alcançar mais rapidamente sua auto-sustentação, reduzindo as necessidades de capital de giro e agregando maior valor ao novo negócio.

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

Os custos inerentes a prestação de serviço de RECARGA DE CARTUCHO devem ser estimados considerando os itens abaixo:

1. Salários, comissões e encargos;

2. Tributos, impostos, contribuições e taxas;

3. Aluguel, taxa de condomínio, segurança;

4. Custos do Serviço Prestado (Insumos: Clips, Etiquetas p/ Vedação, Fita de Proteção, Tinta, Toner, etc.)

5. Mercadorias para Revenda – Relativo ao custo das mercadorias compradas para revendas (exemplo: acessórios e suprimentos de informática revendidos)

6. Água, Luz, Telefone e acesso a internet;

7. Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionários;

8. Recursos para manutenções corretivas;

9. Assessoria contábil;

10. Propaganda e Publicidade da empresa;

11. Despesas com vendas;

12. Despesas com armazenamento e transporte;

Diversificação / Agregação de valor

Para aumentar o faturamento e diversificar o mix de produtos, os empresários do setor, em geral, também comercializam cartuchos novos originais e compatíveis, além de periféricos, acessórios de computador e suprimentos de informática (papel de impressão).

Divulgação

Sendo o cartucho de impressão um bem de consumo, a divulgação da sua empresa de recarga deve ser direcionada para o usuário final, com o objetivo de estimulá-lo a consumir o seu produto.

Alguns itens são importantes para chamar atenção do consumidor no ponto de venda dentre eles a adequada exposição, uso de displays, totens, folhetos explicativos sobre a qualidade do produto etc., porém a possibilidade de visualizar e poder atestar a sua qualidade são essenciais para impulsionar o cliente a adquirir o seu cartucho remanufaturado. Além disso, uma bonita e bem elaborada embalagem é uma boa forma de apresentar o produto, sendo um requisito básico para impulsionar a sua venda.

A divulgação para clientes corporativos e a distribuição através de quiosques, papelarias e magazines devem ser feitas através de visitas regulares e apresentação aos departamentos responsáveis pela aquisição do produto, com o uso de amostras e folhetos explicativos sobre o produto.

Outra boa forma de divulgar o produto para o público em geral é o uso de Outdoors e a publicidade em ônibus da região.

Informações Fiscais e Tributárias

O segmento de recarga de cartuchos, assim entendida a recarga de cartuchos associado ao comércio, poderá optar pelo SIMPLES Nacional – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, caso a receita bruta de sua atividade não ultrapassar R$ 240.000,00 (microempresa) ou R$ 2.400.000,00 (empresa de pequeno porte) e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional):

- IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);

- CSLL (contribuição social sobre o lucro);

- PIS (programa de integração social);

- COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);

- ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços);

- IPI (imposto sobre produtos industrializados);

- INSS (contribuição para a seguridade social).

Nas hipóteses em que os cartuchos usados recondicionados se destinem ao uso da própria empresa executora ou quando essas operações sejam executadas por encomenda de terceiros não estabelecidos com o comércio de tais produtos, a operação não é considerada industrialização. Assim, conforme o Anexo I da referida Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade, vão de 4% até 11,61%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. Contudo, se a pessoa jurídica for contribuinte do IPI, não se estende a interpretação aqui mencionada. Então deverá tributar suas operações na forma do Anexo II, cujas alíquotas vão de 4,5% até 12,11%.

No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, o empreendedor utilizará, como receita bruta total acumulada, a receita do próprio mês de apuração multiplicada por 12 (doze).

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios de isenção e/ou substituição tributária para o ICMS, a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS (Resolução nº 05/2007, do Comitê Gestor de Tributação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

Essa opção de tributação poderá ser amplamente vantajosa para o segmento de recarga de cartuchos, motivo pelo qual sugerimos uma avaliação cuidadosa do regime de tributação apresentado.

Orienta-se ao empreendedor que atente ao tópico Exigências legais especificas, que inclui as normas e regulamentos que devem ser atendidos para operacionalização dessa atividade.

Glossário

Cartucho: Invólucro de tinta ou toner para impressoras. Eles podem ser:

Originais (OEM): São os cartuchos novos produzidos pelos fabricantes das impressoras

Compatíveis: São também chamados assim os cartuchos novos, porem produzidos por outros fabricantes. Seu preço é um pouco inferior ao do cartucho original.

Remanufaturados: São cartuchos originais vazios remanufaturados por um processo especial que inclui o teste, a limpeza, a substituição de peças, a recarga e o controle de qualidade de impressão;

Recarga: é apenas um dos passos da remanufatura ou reciclagem de um cartucho. A grande diferença entre um cartucho reciclado e um recarregado é que a recarga é o simples fato de encher novamente o cartucho de tinta, sem nenhum controle. A Remanufatura de um cartucho consiste em vários processos, iniciando no teste de seus circuitos eletrônicos, passando por uma limpeza feita por máquinas específicas para cada modelo de cartucho (esta limpeza é feita para retirar os vestígios microscópios da tinta que na maioria das vezes está ressecada ou cristalizada). Por fim, o cartucho deve ter seu enchimento controlado, pois para cada modelo existe um tipo e uma quantidade exata de tinta, para que ele não fique cheio demais e ocorram vazamentos em sua impressora ou que a tinta resseque na cabeça de impressão do cartucho.

Cilindro: Componente dos cartuchos a laser, responsável pela formação da imagem a ser impressa no papel.

Impressão a laser: O processo de impressão a laser é muito semelhante ao da reprodução xerográfica, em que um cilindro de metal recoberto de selênio é controlado eletronicamente. Numa impressora a laser, a imagem a ser impressa em papel é primeiramente formada num cilindro, ou molde. Um feixe de raios laser gera cargas de eletricidade estática em algumas partes do cilindro. Ao ser passado no reservatório de toner, as partes carregadas do cilindro o atraem, formando um molde perfeito da imagem a ser impressa. Em seguida, o molde é prensado contra o papel, com a ajuda de um mecanismo chamado conjunto fusor, sendo o toner transferido e gerando a página impressa. Além das impressoras a laser monocromáticas, temos também as coloridas, que usam quatro cores de toner para conseguir cores perfeitas.

Impressora Jato de Tinta: As impressoras jato de tinta são as mais vendidas atualmente. Ao invés de usar agulhas e fita como as matriciais, as impressoras jato de tinta trabalham espirrando gotículas de tinta sobre o papel, conseguindo uma boa qualidade de impressão, próxima à de uma impressora a laser.

Impressora Matricial: Utiliza um conjunto de agulhas que produzem impacto sobre uma fita de impressão, deixando marcas no papel.

Multifuncional: termo que geralmente define uma classe de impressoras que fazem mais do que imprimir. Normalmente os dispositivos multifuncionais oferecem alguma combinação de impressão, digitalização, cópia e fax.

Dicas do Negócio

Uma boa dica é oferecer a seus clientes serviços de entrega e coleta de cartuchos em domicílio. Este serviço pode ser prestado através de firma de prestadores de serviço contratados.

A internet é uma excelente aliada na hora de se obter materiais de referência para o trabalho de recarga. Existem apostilas explicando os processos e cuidados técnicos a serem tomados na remanufatura de diversos tipos de cartuchos. Vale a pena consultar os websites especializados.

O empreendedor deve fornecer aos empregados e exigir o uso do equipamento de proteção individual (roupa adequada, óculos, luvas, etc.) durante o manuseio e recarga dos cartuchos, conforme exigência da Lei Nº. 6.514 de 22 de dezembro de 1977.

Características específicas do empreendedor

Dentre as principais características necessárias ao empreendedor deste segmento destacamos:

O ideal é que o empresário que ingresse no negócio de recarga de cartuchos conheça as técnicas utilizadas e compatíveis com os serviços que irá oferecer, adquirindo o conhecimento necessário para exercer a adequada supervisão dos trabalhos, compra de insumos e equipamentos.

Habilidade para planejar e programar a produção diária, determinando operações e etapas a serem realizados, recursos necessários e custos previstos;

Capacidade de manter o ambiente de trabalho limpo e organizado;

Habilidade de relacionamento com o público e a capacidade de desenvolver novos mercados para o seu produto são fatores essenciais neste segmento.

Fonte: Sebrae www.sebrae.com.br
Dicas: Pequenas Impresas Grandes Negócio www.pegntv.globo.com

Copyright © 2004 / 2016 - Publicaweb Ink Máquinas | Todos os Direitos Reservados | Desenvolvimento: Building Publicidade